x

Por dentro do Pibid

04 de dezembro de 2015
Depoimentos de participantes da área de ciências e biologia da Universidade Federal do ABC

Por dentro do Pibid




Professor supervisor
“Até mesmo quem não quer atuar na sala de aula, [quando participa do Pibid] cria proximidade e percebe que talvez a docência seja um caminho. Mediante experiências positivas, os bolsistas começam a sentir a Educação de outra forma, como se ele fizesse parte daquilo. Muita gente acha que é só dar aula e não é só isso, é trocar ideias. A aula fica diferente com a presença do bolsista Pibid, o professor se sente apoiado. O sistema te coloca em uma posição que o professor é o único responsável, quando há a possibilidade de dividir responsabilidades com alguém que vem com ideias novas, o professor se reanima. O trabalho fica mais enriquecido.”

Felipe Pius, professor da Educação Básica há oito anos e supervisor do Pibid há três
 

Estágio x Pibid
“Um dos principais motivos pelo qual eu adoro o Pibid é que não sou a professora, mas também não sou a estagiária, ficamos no meio termo. Não é um estágio em que a gente fica um tempo e depois some, deu sua aula e acabou. Não, nós passamos por um processo e, por exemplo, como eu fiquei muitos anos, tem aluno que acompanho há anos. O programa é o melhor jeito de tornar a formação de professores mais eficiente, porque o recém-formado não está caindo na sala do nada. Muitas vezes, é preciso aprender a adequar a teoria da universidade à prática. No Pibid, a gente consegue visualizar essa necessidade. Se eu só tivesse feito um estágio rapidinho, não teria entendido isso.”

Carolina Santa Croce, bolsista há três anos.


Experiência na escola
“Antes eu não queria ser professora, agora eu penso que sim. Encho meus olhos para falar que eu participei do Pibid. É muito legal como o programa permite um contato com diferentes pessoas. Às vezes, nós trabalhamos com o supervisor e aluno e, outras vezes, nós trabalhamos com outros profissionais. Você pode observar o modo com que outras pessoas interagem ao longo de anos; diferente do estágio, que se restringe ao final da licenciatura. Já lidei com dois professores de perfis totalmente diferentes e foi ótimo. Estou no Pibid para experimentar, para fazer minha experimentação e achar minha identidade; para pegar o melhor dos mundos.”

Gabriela Gabriela Brayner Costa, bolsista há dois anos
 

“O Pibid é extremamente importante porque eu não tive que esperar até o final do curso para conhecer a escola. A gente está na realidade da escola o tempo todo, é uma imersão nesse universo que também é importante para a unidade escolar. De acordo com a fala do ministro, o Pibid tem apenas 18% de ex-bolsistas na sala de aula, mas o que é avaliado nisso? São os professores efetivos ou temporários? Quantos concursos têm sido abertos para professores no Brasil? É muito difícil fazer essa avaliação quantitativa, sem levar em consideração a qualitativa."

Carol Boccuzzi, bolsista há 4 anos
 

Foco no aluno
“O Pibid para mim foi muito decisivo. Eu não sabia se queria dar aula e agora tenho certeza que quero. Além disso, o programa ajuda a ver o aluno como um cidadão, a ver como o ensino pode ter significado na vida dele.”

Natália Sabbatino, bolsista há 5 meses

"Eu sempre soube que eu queria ser professora. Recentemente contei ao meu pai e ele basicamente me expulsou de casa. Ele não aceitou e eu não sei até hoje o porquê. Conheci o Pibid antes de entrar na faculdade. Vendo experiências de amigos, eu já queria participar. Apesar do pouco tempo como bolsista, já senti muita diferença. Por exemplo, ontem, quando estive na escola, os alunos me pediram para explicar uma matéria e eu usei muitos termos técnicos, até que uma aluna me pediu para ‘falar na língua deles’. Na academia temos uma visão muito técnica, o Pibid entra em choque com isso.”

Natália Viana, bolsista há um mês

“Entrei na universidade para cursar engenharia, mas notei que na origem da maioria dos problemas que a gente enfrenta está a Educação, principalmente na de quem mais precisa. Meu irmão, por exemplo, se formou em matemática, mas desistiu da docência, porque, uma vez na sala de aula, ele viu que a aula perfeita não funcionava. Quando estamos na faculdade você só pensa em você e na sua aula linda. Por outro lado, quando você está no Pibid, você se depara com o mundo dos alunos e o que eles precisam, a carência daquela escola e da Educação pública. Não se trata mais de você."

Graziele Larissa Silva Ferreira, bolsista há um ano

“Quando me formei, em 2008, o Pibid ainda estava surgindo e não fui bolsista. Mas fui professora supervisora por um ano e posso dizer que os pibidianos trazem muitas coisas positivas. Há o momento em que o supervisor ensina, mas é uma aprendizagem trocada. Para minha turma, era muito impactante. Nós temos classes com 40 alunos, então os bolsistas são um apoio importante. Além disso, o professor de Biologia é construído para ensinar conceitos. As licenciaturas não se preocupam em formar o aluno. São poucas as universidades que mostram que há dois mundos: o do professor sim, mas o do aluno também. Embora o professor tenha seu próprio mundo, ele tem que revelar o mundo para aquela criança."

Aline Delgado Pinheiro Cavalcante, mestranda de Biologia na UFABC e pesquisadora do impacto do Pibid na formação docente.


Mudança na Educação
"Fiz vários cursos que os meus pais queriam, para fugir da docência. Eu me lembro o dia em que disse a eles que faria licenciatura e parecia que eu estava dando uma notícia péssima. Sempre quis ser professor, mas nunca consegui admitir isso. Tem muito o que fazer pela Educação brasileira. Por exemplo, faltam pesquisas sobre Educação no Brasil; e, por outro lado, faltam também pesquisadores de ensino que tenham contato com os alunos. Nós temos alunos que saem da licenciatura e ingressam no mestrado sem nenhum contato com a escola. Como é que esse educador vai pesquisar a melhoria da Educação no país, se ele não conhece a Educação do país? O problema é que se esse educador quiser ter experiência prática com sala de aula, ele vai levar anos. Vai passar pela graduação, depois pela sala de aula e, só então, será pesquisador. O Brasil não tem todo esse tempo. A Educação precisa começar a mudar agora e o Pibid dá essa possibilidade de conhecer a realidade da escola. Se tirarem o programa, estaremos dando vários passos para trás."

João Paulo Soaeres, bolsista há 4 anos
 


Ver todas as notícias



Sou supervisora pelo programa desde 2013, aqui em Diamantina MG. Com o trabalho realizado no decorrer dos anos, reforça cada vez mais a luta pela permanência do programa. Em nosso espaço de atuação, o PIBID aponta resultados positivos junto ao ensino/ aprendizagem de nossos alunos. E o que faz a educação avançar, não pode parar... Pibid sempre! Estamos juntos nessa luta...

Carregando


Seu comentário foi enviado com sucesso.




 

Leia os termos de uso antes de enviar sua mensagem.
Li e aceito os termos de uso.

 

Consulte nosso glossário

  • A
  • B
  • C
  • D
  • E
  • F
  • G
  • H
  • I
  • J
  • K
  • L
  • M
  • N
  • O
  • P
  • Q
  • R
  • S
  • T
  • U
  • V
  • W
  • X
  • Y
  • Z

Sua mensagem foi enviada com sucesso!
 
 
 

Não foi encontrado nenhum registro com os critérios informados.