Perguntas & Respostas: Mais sobre Primeira infância

POR 13 Jul, 2018

Perguntas e respostas

Desvendamos mais algumas dúvidas sobre esta etapa do desenvolvimento infantil - inclusive falamos sobre o momento em que os pequenos podem (e devem!) começar a frequentar o ambiente escolar

Agora que você já sabe uma porção de coisas sobre Primeira Infância (e se não sabe, dá um pulo no nosso outro texto aqui), chegou a hora de entender quando os pequenos podem começar a frequentar a escola. Aliás, você sabia que a Educação Infantil é composta por duas etapas? A primeira é a creche (que recebe crianças do 0 aos 3 anos de idade) e a segunda é a Pré-escola (frequentada por crianças de 4 e 5 anos de idade).

 

Então, quando a criança deve ir à escola?

Enquanto a matrícula na creche é facultativa, na Pré-escola, ela se tornou obrigatória em 2016. Embora muitas crianças possam se beneficiar com a ida à Creche - e elas têm o direito de conseguir uma vaga se os pais quiserem -, entende-se que um convívio familiar de qualidade é tão bom quanto à frequência em uma unidade infantil nessa faixa etária.

Já com as crianças de 4 e 5 anos, é diferente. Como já falamos, elas já têm um desenvolvimento cognitivo mais complexo e necessitam de um acompanhamento pedagógico certeiro para utilizar todo seu potencial. Diante disso, a obrigatoriedade da Pré-escola é, antes de mais nada, um reconhecimento da importância dessa etapa escolar para a aprendizagem infantil, especialmente no preparo para o ciclo de alfabetização, que acontece na sequência, nos três primeiros anos do Ensino Fundamental.

 

Sob outra perspectiva, tornar a matrícula obrigatória também foi essencial para impulsionar o acesso das crianças à Pré-escola. A obrigatoriedade significa um dever duplo - dos pais, em matricular seus filhos, e do Estado, em ofertar vagas suficientes para todas as crianças dessa faixa etária. Desse modo, uma série de efeitos positivos acompanham esse compromisso, como direcionar mais verbas para financiar essas escolas e o comprometimento em avaliar a etapa. E parece que tem surtido efeito, ainda que aquém do esperado. Em 2017, o Brasil atingiu a taxa de 93% de crianças entre 4 e 5 anos frequentando a escola; o ideal, contudo, seria 100%, conforme prevê o PNE e a Emenda Constitucional n° 59.

 

Brincar ou estudar: o que crianças pequenas fazem na escola?

Essa é uma dúvida muito comum e, geralmente, motivada pelo desconhecimento sobre a Primeira Infância. Se você leu nosso primeiro texto, esse não é mais um problema. De qualquer forma, muitos ainda questionam: afinal, as crianças muito pequenas estudam? Se por estudar, estamos nos referindo à escolarização, com conteúdos, avaliações e condutas típicas da escola fundamental, então a resposta é não. Por outro lado, a Pré-escola não é avessa à aprendizagem, muito pelo contrário: ela é o reino do lúdico, que é a maneira como crianças pequenas aprendem!

 

Ou seja: crianças de 4 e 5 anos não devem ser escolarizadas mas, sim, aprender brincando. Isso significa que, munidos de conhecimentos sobre desenvolvimento infantil e Educação, os profissionais da área são capazes de planejar brincadeiras e ambientes que façam com que a criança aprenda naturalmente, desenvolvendo habilidades sociais, emocionais e cognitivas importantes para a transição para o Ensino Fundamental. Saiba mais sobre o assunto aqui.

 

Se todas as crianças tiverem uma Primeira Infância de qualidade, teremos um Brasil melhor?

Sim, segundo atestam os especialistas. Uma série de estudos sobre o assunto aponta que apostar em políticas públicas para gestantes e crianças entre 0 e 6 anos de idade pode gerar um retorno enorme para o País, o que inclui efeitos na renda, produtividade, igualdade e sustentabilidade. Conheça o que dizem alguns deles aqui.

 

PS: Sabia que o Brasil faz parte de uma agenda voltada para a Primeira Infância? Confira:

http://agendaprimeirainfancia.org.br/



SHARE